Carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

Fique por dentro

Há mais de 10 anos superando expectativas...

Solicite sua proposta

Desemprego afeta a demanda por imóveis.

Administração de Condomínios

Aumento da taxa de desemprego segue alinhada com a queda da demanda por compra de imóveis

Por Redação Sonho do Primeiro Imóvel

O desemprego no Brasil vem aumentando a cada mês e afetando diversas áreas da economia. Em janeiro, a taxa de desemprego atingiu 7,6%, a maior dos últimos 7 anos para este mês, segundo o IBGE. O VivaReal, plataforma online que conecta imobiliárias, incorporadoras e corretores com consumidores, acompanha os dados do mercado imobiliário e analisou a influência do desemprego em relação à demanda de imóveis.Gráfico Desemprego x Demanda de Imóveis

A demanda por compra enfrentou uma desaceleração durante 2015 e chegou a ser ultrapassada pela busca por aluguel, enquanto a taxa de desemprego crescia. “É possível notar que a queda na busca por imóveis para compra está diretamente relacionada com o aumento do desemprego. Conforme as pessoas ficam desempregadas, elas resolvem adiar o plano da casa própria e não se comprometem com gastos a longo prazo”, comenta Lucas Vargas, executivo Chefe de Operações do VivaReal.

Os efeitos do desemprego na busca de imóveis não são imediatos. Ao analisar o gráfico, é possível notar que a demanda por aluguel superou a compra um mês após o País registrar a maior taxa de desemprego do ano (7,8%). Com a migração da procura por locação, o cenário é favorável para quem quer anunciar imóveis para alugar.

“Para perceber os efeitos do desemprego na busca por imóveis é preciso analisar os dados retroativamente. Quando o desemprego sobe em um mês é provável que isso só seja sentido no mercado um pouco mais para frente. Se o desemprego aumenta em outubro, em novembro teremos uma queda na procura por imóveis para compra. Em contrapartida, essa situação aquece o mercado de aluguel”, completa Vargas.

Fonte: Condomínio do futuro