Carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

Fique por dentro

Há mais de 10 anos superando expectativas...

Solicite sua proposta

Instalação de telas é opção para manter os mosquitos fora dos condomínios.

Administração de Condomínios

Venda de telas chegou a crescer 75% em uma das lojas consultadas pela reportagem. Henry Milleo / Gazeta

A preocupação dos moradores em manter o Aedes aegypti longe das residências – e da família – tem estimulado o mercado de telas mosquiteiras, que vê sua demanda crescer e acompanhar o avanço da infestação do mosquito pelo estado.

Na Moskitelas, a procura pelas telas de proteção cresceu em torno de 40% desde que a empresa abriu as portas, há cerca de um ano e meio. Na Vertical Persianas, o aumento foi ainda mais significativo e chegou aos 75% no primeiro trimestre de 2016, no comparativo com o mesmo período do ano passado.

“Antes, instalávamos as telas mais em casas de praia e de campo, agora, há procura pelo produto também em Curitiba”, diz o gerente de marketing da empresa, Rinaldo Figueiredo.

Evolução

As telas ofertadas pelo mercado evoluíram e em nada lembram as antigas molduras de madeira recobertas com a malha, comuns nas casas litorâneas.

Os quadros, confeccionados sob medida com perfis de alumínio, recebem pintura eletrostática (que não descasca) nas cores branca, preta, cinza fosca e bronze, para acompanhar o acabamento das esquadrias.

Já as telas são produzidas com fibra de vidro recoberta com PVC, facilitando a limpeza com pano úmido. Disponíveis nas cores branca e cinza, elas são atóxicas, têm agentes antifúngicos e não propagam fogo.

Entre os modelos disponíveis, os clientes podem escolher entre a tela de quadro fixo removível – instalada do lado de fora da parede por meio de travas ou encaixada “dentro” janela – e a basculante. “Ela é instalada com dobradiças, fazendo com que a tela ‘abra’ como uma porta”, diz Ricardo Putrique, proprietário da Moskitelas.

O modelo deslizante é indicado para as janelas com folhas de correr. Nele, dois “trilhos” são instalados na parte superior e inferior da janela, por onde a tela corre para cobrir o vão da folha que foi aberta.

Já a tela retrátil funciona como uma cortina rolô. Um mecanismo com mola é instalado na parte superior da esquadria, pelo lado de dentro, e enrola a tela quando ela está aberta. Este foi o sistema escolhido pela médica Priscila Langowski para o quarto de suas duas filhas – de dois anos e dois meses, respectivamente. “Como tenho tela de proteção na janela, não tinha como instalar a mosquiteira por fora. O modelo retrátil também facilita o acesso à janela, então foi a melhor solução”, diz.

O custo para se instalar uma tela mosquiteira de quadro fixo varia de R$ 120 a R$ 300 por m², enquanto o da deslizante gira entre R$ 150 e R$ 350 por m².

No modelo retrátil, o valor sobe para entre R$ 260 e R$ 500 por m², devido ao mecanismo necessário para a abertura e fechamento da tela. “É um ótimo custo benefício, pela segurança contra a entrada dos insetos e a redução do risco de ser picada”, avalia a também médica Letícia Cristina Percicote que, grávida de cinco meses, investiu R$ 5 mil para instalar as telas nos sete cômodos do apartamento onde mora com o marido, em Paranaguá.

Cuidado

As telas ajudam a manter os mosquitos longe dos imóveis, mas os cuidados para combater o Aedes aegypti, e as doenças por ele causadas (dengue, zika e febre chikungunya), vão muito além da instalação do sistema. Relembre quais são eles.

  • Não deixe água acumulada em pneus, lajes ou qualquer outro recipiente.
  • Coloque areia nos pratos de vasos de plantas e limpe periodicamente as calhas.
  • Não jogue lixo em terrenos baldios.
  • Tampe caixas d’água, piscinas e outros recipientes que acumulam água.
  • Guarde pneus e garrafas em locais abrigados da chuva.
  • Mantenha o quintal limpo e as lixeiras fechadas.
  • Lave diariamente os potes de água dos animais de estimação.
  • Use repelente em áreas expostas do corpo, como rosto e mãos.
Fonte: Gazeta do Povo